domingo, 1 de maio de 2016

Uma ideia para Portugal







"Que tipo [de organização] então preferir? Nós estávamos empenhados em encontrar uma fórmula que respondesse às seguintes condições:
a) A organização deveria aliviar o hipertrofiado e monstruoso Estado Moderno, desembaraçando-o de algumas das suas funções, serviços e despesas e defendendo só por esse facto a liberdade individual e as economias privadas;
b) A organização deveria ser decalcada, com prejuízo embora da sua pureza teórica e simetria, sobre a vida real do homem na família, na profissão, na sociedade; e sendo assim, aproveitar o mais possível as formas conhecidas e espontâneas de organização a integrar em plano de conjunto;
c) A organização não deveria dissociar o económico do social, pela razão fundamental de que todos os que de qualquer modo trabalham são solidários na produção e é da produção que todos devem viver;
d) A organização deveria não perder de vista as realidades supra-individuais e que, portanto, só é verdadeiramente útil se conseguir satisfazer os legítimos interesses privados e ao mesmo tempo promover o interesse colectivo.
E foi por estas razões que pretendemos estabelecer entre os vários tipos de organização e de corporativismo a organização corporativa portuguesa"
(Salazar, op. cit., pp. 361-2)

2 comentários:

  1. Boa tarde.

    Obrigado por este post, levei "emprestado"

    http://aviaportuguesa.blogspot.pt/2016/05/neste-dia-de-sao-jose-padroeiro-dos.html

    ResponderEliminar
  2. Boa noite,
    Muito obrigado, fique à vontade para levar.
    Vou também seguir o seu blog.
    Os melhores cumprimentos.

    ResponderEliminar