sábado, 2 de maio de 2015

Monarquia e sindicalismo




Como passou o 1º de Maio deixo aqui uma sugestão de leitura: "Anarquia ou Monarquia", publicado em 1923 pela "Juventude Monárquica Conservadora", mas que de "conservador" tem muito pouco. O texto é um apelo às classes do operariado e à necessidade de uma "revolução monárquica". Confronta-nos com a ambiguidade de conceitos e o encontro de terminologias tão antagónicas, mas afinal possível. Propõe o autor (ou autores?) cruzar a monarquia e o sindicalismo. A ideia já não era nova, vinha da influência de George Valois, um dos ideólogos da Action Française e fundador do "Cercle Proudhon", nesse movimento cruzava o nacionalismo e a concepção monárquica da AF de Maurras com as ideias do sindicalismo. As críticas dos movimentos sindicalistas ao individualismo, ao liberalismo, à "ordem burguesa" e ao capitalismo fundem-se num mesmo sentido face às concepções do integralismo monárquico (António Sardinha e Rolão Preto estão na esteira dum mesmo pensamento). Havia também a necessidade percepcionada de ampliar as adesões ao movimento monárquico, apelando às classes do operariado. Foram monárquicos quem, nos anos 20, escreveram estas palavras: "Operariado português! Somos como vós sindicalistas, queremos, como vós ,o triunfo do sindicalismo". E também " a ordem sindicalista só é possível dentro da Monarquia". O opúsculo mostra as influências do maurrasianismo e de George Valois, propaga as ideias do nacional-sindicalismo e nele vê-se germinar o fascínio pelo fascismo que move já uma geração empolgada em rebelar-se. É talvez uma parte da história política que falta estudar melhor.


Sem comentários:

Enviar um comentário